Centro Hospitalar Veterinário

Fibrossarcoma Felino

 

Definição

 

O Fibrosarcoma é um tumor maligno com origem nos Fibroblastos. É o sarcoma mais comum em gatos e ganhou relevância com a descrição em 1991 de um subtipo de Fibrossarcomas associados a inoculações (injetáveis). A localização acrescida de um número tumores na região interescapular (sítio comum de administração de injetáveis) e a visualização de material estranho nas biópsias levou à hipótese de estes tumores estarem associados a determinado tipo de injetáveis, nomeadamente vacina da Raiva e Leucose Felina. De facto, estas duas vacinas são inativadas e de forma a aumentarem a sua eficácia recorrem a adjuvantes- substância que provoca uma resposta inflamatória no local da inoculação e, desta fora, expor o sistema imune aos antigénios da vacina. Ora, a relação entre inflamação e cancro é conhecida há centenas de anos quando foi descrita pelo médico Grego Claudius Galenus e hoje sabemos que estados inflamatórios crónicos podem evoluir para cancro. Pensa-se que a inflamação local leva a desregulação e alteração da proteína p53 e consequente desenvolvimento do tumor.

 

O Sarcoma associado a locais de inoculação possui uma incidência de 1/1000 a 1/10000 gatos e distingue-se dos sarcomas “clássicos” pelo seu comportamento mais agressivo e surgimento em animais mais jovens. Histologicamente pode ser observado um material estranho correspondente ao adjuvante e é mais comum ocorrer um infiltrado linfóide periférico.

 

 

Sintomas

 

A apresentação típica consiste na deteção pelo proprietário de um nódulo cutâneo duro e não móvel. Ao contrário dos cães, os nódulos cutâneos benignos não são comum em gatos e a presença de qualquer elevação deve ser encarada com precaução.

Ressalva-se que o surgimento de um nódulo no local de vacinação pode ser normal nos primeiros dias e não consiste motivo de preocupação. O seu aumento de tamanho ou persistência no tempo deve levar o proprietário a procurar aconselhamento veterinário.

 

Diagnóstico

 

O diagnóstico é confirmado por biópsia da massa. A citologia poderá também ser utilizada.

 

Tratamento

 

O tratamento do Fibrossarcoma é cirúrgico. A experiência do cirurgião é um dos fatores de prognóstico mais importantes nesta doença. A cirurgia deve ser realizada com amplas margens e as hipóteses de sucesso diminuem com o número de cirurgias, isto é, uma cirurgia posterior não tem as mesmas hipóteses de sucesso que a primeira cirurgia.

A quimioterapia pode estar indicada para tumores de elevado grau de malignidade, embora este tipo de tumor só metastiza em 30 % dos casos sendo que a recidiva local (aparecimento d tumor no mesmo local original) é mais comum.

Tumores pequenos, localizados em zonas de fácil acesso cirúrgico e operados por um cirurgião experiente têm boas possibilidades de cura.

 

Prevenção

 

A prevenção deste tipo de tumores consiste na limitação do uso de injetáveis subcutâneos em gatos, principalmente vacinas com adjuvante. Um gato que viva exclusivamente dentro de casa não têm indicação para ser vacinado com a vacina da Leucose Felina diminuindo assim o risco de desenvolver o Fibrossarcoma.